sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Pesquisar

Pesquisa implica em desterritorialização - em afastar-se e ao mesmo tempo, de outra forma, aproximar-se do objeto amado.

A minha curiosidade é feita de amor. E afastar-me do que amo, ou de como me acostumei a encarar isso que amo, é difícil.

Pesquisar é doloroso, para quem se implica. Mas também é empolgante.

Sinto-me só com meus nós, com a desestabilização de minhas referências. É a curiosidade, acima de tudo, em desejar descobrir quais referências permanecerão ou serão completamemte abandonadas no final, o que me move. Ainda não aprendi a amar o processo. Mas, talvez, seja esse o próximo passo.