terça-feira, 25 de junho de 2013

Pílulas #PelaDemocracia

Eu queria muito participar da Blogagem Coletiva proposta pela Renata Corrêa, e acabei fazendo uma compilação de citações que li recentemente e que me dão um norte para pensar, questionar, praticar a democracia - a que eu vivo e a que eu desejo. Acho que elas vem bem a calhar nesse momento em que nem eu nem um monte de gente cascuda estamos conseguindo esboçar uma explicação fechada sobre os últimos acontecimentos no meu país... 

"No Brasil, a expansão do consumo veio com o regime autoritário e continua com a democracia de mercado. Por conseguinte, essa expansão do consumo (...) faz com que a opinião pública seja amortecida. Há muito mais espaço para o consumidor, esse espaço legitimado agora com o código do consumidor, e nada para o cidadão. Dessa forma, torna-se mais fácil aceitar um mundo onde são as coisas que comandam, e não os valores." (Milton Santos, 1997)

"As vozes que se fazem ouvir na mídia são representantes das vozes da sociedade, mas esta representação possui um viés. O resultado é que os meios de comunicação reproduzem mal a diversidade social, o que acarreta conseqüências significativas para o exercício da democracia." (Luís Felipe Miguel, 2002)

"A sociedade [brasileira] em fundação espelha a sua hierarquia: depois do português, da mulher branca, da mestiça, o índio ocupa o último lugar da escala: ou inimigo sanguinário ou escravo abnegado. Podemos supor onde se situa a mulher índia nesta escala (...) Alencar naturalizou, assim, as temáticas fundacionais (...) Seja como for, as bases do mito da democracia racial estão lançadas." (Angela Arruda, 1999)

"O feminismo, como movimento político, nasce confrontando a relação entre liberdade pública e dominação privada – o que já traz uma exigência de radicalidade, de pensar a democracia, não só como um sistema político, mas como uma forma própria de organização da vida social." (Maria Betania Ávila, 2007)

"(...) tal transformação [social] é sim o objetivo do feminismo, sendo não um problema mulheres/homens, ou um combate entre mulheres e homens, mas um dos grandes movimentos de libertação da história humana: o movimento de libertar a democracia do patriarcado" (Carol Giligan, 2011, tradução livre do francês*)

"Na perspectiva de uma teoria da democracia, a esfera pública tem que reforçar a pressão exercida pelos problemas, ou seja, ela não pode limitar-se a percebê-los, e a identificá-los, devendo, além disso, tematizá-los, problematizá-los e dramatizá-los de modo convincente e eficaz, a ponto de serem assumidos e elaborados pelo complexo parlamentar." (Júgen Habermas, 1992)

"Os cidadãos precisam poder experienciar o valor de uso de seus direitos também sob a forma da segurança social e do reconhecimento recíproco de formas de vida culturais diversas" (Júgen Habermas, 1996*)

"As classes médias brasileiras, agora mais ilustradas, e também mais despojadas materialmente, tem, agora, a tarefa histórica de forçar os partidos a completar, no Brasil, o trabalho, apenas começado, de implantação de uma democracia que não seja apenas eleitoral, mas também econômica, política e social (...) Nas condições brasileiras atuais, as novas circunstâncias podem levar as classes médias a forçar uma mudança substancial do ideário e das práticas políticas, que incluam uma maior responsabilidade ideológica e a correspondente representatividade político-eleitoral dos partidos" (Milton Santos, 2000*) 


*A citação de Carol Giligan foi tirada do livro Le souci des autres: étique e politique du care
*A citação de Habermas (1996) tirei do livro A inclusão do outro: estudos de teoria política
*A citação de Milton Santos (2000) tirei do livro Por uma outra globalização