Infância

Toda criança é uma pessoa inteira e ao mesmo tempo em desenvolvimento. Mesmo vivendo inúmeras mudanças provocadas pelo próprio crescimento físico e intelectual, a criança tem o potencial de sentir-se "sujeito" único e autêntico. Mesmo submetida à diversas expectativas de futuro, vindas principalmente dos adultos, ela tem uma vida presente muito rica - riqueza que pode ser difícil de ser aceita ou manejada na relação com adultos, na família, na escola, enfim, no dia dia. É aí que entra a atuação de psicólogas/os.

O trabalho terapêutico na infância ajuda as crianças e a seus cuidadores a reconhecerem a integridade subjetiva e o processo de desenvolvimento delas. Ele serve como espaço potencial onde elas podem se sentir menos pressionadas pelas expectativas dos adultos sobre o futuro, onde podem expressar sua autenticidade, serem livres de tensões excessivas e criarem novas formas de lidar com os limites de seus contextos. Meu papel então é mediar esse jogo "sério", que compõe a comunicação entre crianças e adultos, e propiciar um espaço e um tempo para que ela se estabeleça de forma autônoma, no longo prazo. Os jogos, o desenho, as narrativas, as conversas são recursos importantes nesse espaço.