Fenomenologia

A Fenomenologia é uma filosofia existencial não essencialista. Com isso quero dizer que ela trabalha com o "sentido imanente" de cada um, mas não considera que as pessoas sejam definidas por identidades essenciais a partir de estereótipos e papéis sociais. Portanto, com essa filosofia, somos convidados a re-pensar nossas situações e histórias, a nos distanciar daquilo que parece dado, encontrando um sentido mais autêntico para as nossas experiências.

A Fenomenologia contribuiu para o advento de outras abordagens filosóficas e psicológicas, como o Humanismo e o Existencialismo, e assim ajuda no trabalho de psiquiatras e psicoterapeutas de diferentes linhas. Ela é facilmente conciliada com técnicas terapêuticas desenvolvidas na psicanálise, na gestalt-terapia, na terapia cognitiva, de acordo com as necessidades dos clientes e do encontro entre eles e seus terapeutas.

"Enquanto tenho um corpo e através dele ajo no mundo, para mim o espaço e o tempo não são uma soma de pontos justapostos, nem tampouco uma infinidade de relações das quais minha consciência operaria a síntese e em que ela implicaria meu corpo; não estou no espaço e no tempo, não penso o espaço e o tempo; eu sou no espaço e no tempo, meu corpo aplica-se a eles e os abarca. A amplitude dessa apreensão mede a amplitude de minha existência; mas, de qualquer maneira, ela nunca pode ser total: o espaço e o tempo que habito de todos os lados têm horizontes indeterminados que encerram outros pontos de vista. A síntese do tempo assim como a do espaço são sempre para se recomeçar." (Merleau-Ponty, no livro Filosofia da Percepção, pag. 194 e 195)